quarta-feira, 10 de agosto de 2016

006



 Apoie a 1ª edição impressa da Diversifica


Saiu a sexta edição!
Agradecemos a todas as pessoas envolvidas. Que vocês tenham uma boa experiência de leitura!
Aproveite e não deixe de curtir nossa Página no Facebook
Um abraço para quem Diversifica!
Se preferir, clique aqui para download em Pdf.





EDIÇÃO . OO6 . agosto de 2016
DIVERSIFICA

REVISÃO
Larissa Mercury, Paco Sousa

COLABORADORES DESTA EDIÇÃO
Daia Moura, Raescla Oliveira, Alana Mendes, Bruno Vitiritti, Silvana Sarti, Ana Paula Ferreira, Priscila Carla, Catharina Strobel, Giovane Reis Sorrequia, Isabelle Cristina da Silva Pires, Ivanise Regina de Carlo, Diana Tsonis, Lethicia Oliveira, Vitória Elisa da Silva Galina, Rafael Guerche, Guilherme Miralha.

FOTOGRAFIAS
Felipe Stucchi, Lane Silva, Lucca Cortolo, Marcio Moraes, Matheus Carneiro, Tatiana Plens, Willian Bezerra, Vinícius Ferreira.

ILUSTRAÇÕES
Larissa Mercury, Livia Jorge.

domingo, 21 de fevereiro de 2016

005

Saiu a quinta edição!
Agradecemos a todas as pessoas envolvidas. Que vocês tenham uma boa experiência de leitura!
Aproveite e não deixe de curtir nossa Página no Facebook
https://www.facebook.com/diversificaa ]
Um abraço para quem Diversifica!
Clique na capa abaixo para visualizar a versão completa.
Ou, se preferir, clique aqui para download em Pdf.

EDIÇÃO . OO5 . fevereiro de 2016
DIVERSIFICA


REVISÃO
Gabriel Prata, Paco Sousa

COLABORADORES DESTA EDIÇÃO
Julia Dantas, Louie Marine, Thaís Ribeiro, Romário Rodrigues Lourenço, Rocha Neto, Maurício Caetano da Silva, Marco Antônio Rodrigues de Souza, Cristiane Vieira de Farias, Rebecca Monteiro Jordão, Alexandre Rabelo, Yuri Tripodi.

FOTOGRAFIAS
Erick Marques, Marco Antônio Fera, Ary Régis Lima, Macaquinhos, Wagner Antonio Rizzo, Thiago Camacho, Hélio Beltrânio, Genders Brasil.

ILUSTRAÇÕES
Willian Andrade, Thiago Goya.
CONTEÚDO

ELA CHEGOU!
editorial por Paco Souza


___________________________________________

MARILUZ
conto de Julia Dantas
___________________________________________

MAIS DE CINQUENTA
crônica de Gabriel Prata
___________________________________________

PASSABILIDADE NÃO-BINÁRIA?
crônica de Louie Marine
___________________________________________

TODOS PODEM SER FRIDA
artigo de Caio Mello
___________________________________________

VOCÊ JÁ NAMOROU?
crônica de Romário Rodrigues Lourenço
___________________________________________

BEIRA-MAR
filme de Márcio Reolon e Filipe Matzembacher
___________________________________________

JOHN MAWSON
artigo de Rocha Neto
___________________________________________

ME DEIXA
poema de Thaís Ribeiro
___________________________________________

DEUSXS, MITO DO GÊNEROa
ensaio por Wagner Antonio Rizzo
___________________________________________

A TODXS QUE PERGUNTAM SE ESTOU BEM
crônica de Maurício Caetano da Silva
___________________________________________

AMOR MARGINAL
Pmúsica de Johnny Hooker


MASCULINIDADE, MASCULINIDADE NEGRA
E IMAGEM DO HOMEM NEGRO E GAY
NA SOCIEDADE BRASILEIRA

artigo de Marcos Antônio Fera
___________________________________________

NINFA
poema de Cristiane Vieira de Farias
___________________________________________

FORMAÇÃO
poema de Rebecca Monteiro Jordão de Araújo
___________________________________________

TANGERINE
filme de Sean Baker
___________________________________________

PERFUMES E NOVELAS - BEIJO HOMOAFETIVO
poema-manifesto de Cristiane Vieira de Farias
___________________________________________

DARK
ensaio de Erick Marques
___________________________________________

ALCOVA
ensaio de Willian Andrade
___________________________________________

DO FIM AO COMEÇO
conto de Alexandre Rabelo
___________________________________________

THE RASPBERRY REICH
filme de Bruce La Bruce
___________________________________________

MACAQUINHOS
artigo de Macaquinhos
___________________________________________

YES, EU TENHO BUCETA
crônica de Yuri Tripodi
___________________________________________

AGRADECIMENTOS
Gabriel Prata e Paco Sousa



Você pode contribuir também com notícias, sugestões, indicações de eventos e quaisquer informações que achar importantes e condizentes com nosso tema. Fale conosco através do e-mail ou Facebook. =)

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

A Diversidade tem direito a Igualdade

Infelizmente ainda hoje se trata de um tema polêmico ou motivo de piada como sendo algo desnecessário ou mera “frescura” de quem utiliza e defende a sigla ou até mesmo faz parte da sigla. 
É bom ter um “nome” algo pelo que você possa gritar e defender, a sigla LGBTQIA+ é exatamente este “nome” onde classificam-se, ainda que seja uma ousadia utilizar a palavra “classificar” neste meio tão diverso e livre, “L” para Lésbicas, “G” para Gays, “B” para Bissexuais, “T” para Transsexuais, Travestis e Transgêneros, “Q” para Queers, “I” para Interssexuais, “A” para Assexuados, e “+” indicando a possibilidade de ser acrescentada qualquer outra letra que represente outras formas de gênero e sexualidade. 
Este é o nosso nome, é por ele que defendemos nossa maneira de agir e de ser, e ao mesmo tempo ajuda quem não entende muito bem estes outros gêneros e sexualidades, afinal não é necessário que você seja um ativista LGBT para que tenha respeito para com este grupo, algo pelo qual estamos lutando: Respeito e Igualdade. 
As classificações dentro desta sigla ajudam a entender um pouco mais este segmento da sociedade, o que auxilia na conquista por respeito e direito de voz, sendo que algumas representam orientação sexual, identidade de gênero, expressão de gênero e comumente o próprio sexo biológico. 
A identidade de gênero se dá por como o indivíduo se vê, o que na cabeça dele ele é, mulher ou homem, enquanto que a expressão de gênero é sua maneira de agir, interagir e se vestir, forma como você demostra seu gênero, sendo feminina, andrógeno ou masculino. Orientação sexual, heterossexual, bissexual ou homossexual, normalmente é o mais falado e questionado, se refere a quem você é atraído emocionalmente, aquele pelo qual você vai ter suas paixonites ou até seus grandes amores, mas brincadeiras à parte, quero ressaltar que nem sempre ter uma atração emocional por um gênero significa que há uma atração física e vice-versa. Por último o sexo biológico, classificado através dos órgãos genitais, podendo ser feminino, intersexual e masculino, uma observação deve ser levada em nota, jamais classifique um intersexual como sendo hermafrodita. 
Tendo entendimento destas orientações fica mais fácil compreender esse movimento, e porque ele é tão necessário, porém não vamos ser dogmáticos, afinal por mais que haja essas tais classificações citadas a respeito da sigla no segundo parágrafo, não significa que estamos sujeitos a outra regra, não se trata de passar de uma orientação binária para uma “septanária” ou “decenária”, em síntese se trata de simplesmente viver a sua maneira com a sua orientação sexual ou de gênero sem ser julgado ou diferenciado pelos outros.

~ Juh Guaraná